sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Espere menos

Espere menos, evite se decepcionar. Espere menos, de tudo e todos. 
Para começar bem, não espere que seu relógio vai despertar, se despertar você não vai ouvir. Espere menos. Não espere que vai acordar, levantar e encontrar ao pé da cama seu chinelo de dedo, noite passada você já tinha perdido ele de vista. Espere menos. 
Não espere encontrar o café da manhã pronto, suco de laranja? Menos ainda. Você é adulto suficiente para fazer seu próprio café! Espere menos. Não espere que vai encontrar a manteiga para o pão. Acabou! Você se esqueceu de comprar, espere menos. E sabe aquela história de dividir a carona com o colega de trabalho? Não espere ouvir  o som da buzina do carro soar na porta de sua casa ou vai perder o horário, ele também não está esperando nada de você, pegue o casaco e vai para o ponto de ônibus. Corre, já são 6:30 AM, espere menos. Um detalhe, não seja bobo, não pense que não vai chover, volte e pegue o guarda chuva se não quiser chegar ensopado no trabalho. Neste caso espere... a chuva.
Não espere que vai encontrar neste percurso motoristas, porteiros, recepcionistas, secretários e telefonistas lhe desejando um bom dia. Afinal, o que tem de bom? Seja educado, mas não espere, apenas siga para sua sala que está com o ar-condicionado quebrado, sim não espere que  já tenha consertado. Não espere que seu chefe vai lhe dar aquela merecida promoção, contudo, espere por uma pilha de documentos na sua mesa  para serem revisados, assinados, carimbados e selados. Quando der o sinal da hora do almoço, não espere o sinal, o sinal nunca toca. Fique atento ao seu relógio de pulso que deve estar funcionando bem e vá almoçar! Não espere que alguém lhe convide para o almoço, mas você pode convidar, só não espere que alguém vai aceitar seu convite. Não espere encontrar no restaurante ou seja lá onde você for almoçar,  aquele feijão com arroz que você tanto gosta, espere menos.
Não espere que voltará para casa andando pela calçada sem  esbarrar em ninguém, espere tropeços. E o guarda chuva? Deixou no escritório? Uma neblina fria poderá pegar, espere um resfriado, no mais... Não espere.
Se precisar passar em algum lugar, padaria, sorveteria, livraria, cafeteria, espere pegar uma fila, mas não espere que vai encontrar aquele item que você estava desejando a uma semana. Não espere encontrar pela rua aquela moeda antiga que completará sua coleção.
Quando chegar em casa, seu bicho de quatro patas virá correndo e babando ao seu encontro, mas não pense que alguém limpou a bagunça que ele fez. Espere... menos! Não ouse pensar que encontrará em seu doce lar seu amigo, irmão, camarada de bom humor. Não espere encontrar o chuveiro desocupado, não espere mesmo.   Não espere que vai passar na tv aquele mega filme que todos já assistiram, menos você é claro, espere que a energia acabe.
Não espere que ficará em casa só, deitado no sofá apreciando aquela bossa nova, o disco provavelmente foi arranhado na sua ausência. Espere menos.
E quando a noite estiver chegando, não espere ser lembrado, não espere ligações, recadinhos na porta geladeira, ou sorvete no pote. Não espere risos de crianças, não espere boas notícias no jornal, não espere receber uma flor roubada do jardim. Não espere canto de passarinhos, sons de violinos beijos e carinhos. Não espere uma lua estonteante, a noite pode ser escura.  Não espere, e se for difícil resistir, espere menos. Evite se decepcionar. Pessimismo? Não! Não crie expectativas, expectativas são frustradas. Como se diz por ai... Menos é mais. Espere menos.

Débora Miranda

Um comentário: